quinta-feira, 7 de abril de 2016

Alírio Neto, Galileu do muiscal WWRY Brasil

Aírio como Galileu no Musical WWRY
ALÍRIO NETTO
TALENTO RECONHECIDO
 Por Écio Souza Diniz
Há pessoas que parecem já nascer multiface de talentos. Alírio Netto, conhecido por seu excelente trabalho como vocalista do Age of Artemis, Khallice e HeavyPop, também é um prolífico ator, tendo participado de diversas peças e musicais importantes, como "Jesus Christ Superstar". Agora, ele é o protagonista do musical "We Will Rock You", idealizado pelo comediante inglês Ben Elton em parceria com Brian May e Roger Taylor, do Queen. Alírio Netto, que interpreta Galileo, personagem inspirado na música "Bohemian Rhapsody" e tema central do musical, falou com a ROADIE CREW sobre esse importante momento de sua carreira.
 
Primeiramente, de onde surgiu o convite para participar do musical "We Will Rock You", que estreou em 2002 em Londres e já foi visto por mais de três milhões de pessoas? Alírio Netto: Ano passado, um pouco antes do show do Queen, a produtora do musical entrou em contato, perguntando se tinha interesse em participar e aí eu participei do processo de seleção como todos os outros.
 
Você saberia nos dizer como se deu o processo de liberação do musical para ser exibido no Brasil? Alírio: Esse tipo de musical que vêm de fora é como franquia e aí o produtor brasileiro compra o direito de executá-lo aqui. Para isso, ele tem um tempo hábil para colocar tudo em prática. Além disso, há toda uma estrutura que vem junto, fazendo com que a apresentação dele seja aqui, Londres ou Estados Unidos seja bem parecida.
 
O Queen foi de grande importância para você entrar no ramo musical, visto que se tornou cantor por causa da sua admiração que tenho por Freddie Mercury, certo? Alírio: É verdade, pois o primeiro disco que tive foi o 'A Night at the Opera', que foi minha mãe que me deu. Eu tinha cerca de 8 anos de idade, e vi a apresentação do Queen no primeiro 'Rock in Rio' e eu entrei no mundo do Rock por conta desse show, pois me apaixonei pelo Queen. Com 15 anos, comecei a cantar por causa do Freddie, pois queria fazer o que ele fazia. Os integrantes da banda que acompanha as apresentações foram escolhidos por Brian May e Roger Taylor.
 
Alírio em WWRY
Como foi feita essa seleção? Quais foram os critérios dos líderes do Queen para tal? Alírio: Não sei exatamente os critérios, mas imagina você receber um carimbo de aceitação do cara que compôs a música. Acho que não existe honra maior.

Qual a importância para você de encenar o papel do personagem principal da peça, Galileo, que faz referência à música 'Bohemian Rhapsody'? Alírio: É uma honra, um sonho. Imagina, você está fazendo o protagonista que os caras escolheram no musical Queen, referente a mais conhecida música da banda. Toda vez que vou para o teatro e coloco o figurino e começamos a fazer os ensaios, a sensação que tenho é que ganhei na loteria e zerei a vida. omo Galileu no musical

Como é estar encabeçado no dia a dia de um musical com passagens tão emocionantes como no ritmo forte de 'Under Pressure' e na belíssima 'Love of my Life'? Imagino que seja algo que o envolva inteiramente no papel. Alírio: O bacana de você está fazendo algo desse nível é que você tem a oportunidade de apresentar essas músicas de uma forma diferente. Então, mesmo que você tenha escutado-as milhões de vezes, vale a pena você ir ao show e ver como elas dão suporte a vários personagens e uma história. Há também algumas coisas específicas do Brasil para o show que valem a pena ir conferir. O musical está sendo apresentado no Brasil pela primeira vez no novíssimo no Teatro Santander, em São Paulo.
 
Quais são as expectativas de público e do espetáculo em si? Alírio: É incrível, pois é um musical novo e um elenco novo num teatro novo. Mas, o que eu acho bacana é que isso pode aproximar o público brasileiro de grandes espetáculos, que até pouco atrás não era acessível.
 
Qual o paralelo você consegue traçar com o enredo do musical, calcado num futuro onde a globalização é suprema e individualismo é um tabu, com o mundo atual? Alírio: Cara, chega a ser engraçado, pois realmente parece ser aquilo que nós estamos vivendo: uma ditadura musical, pois houve-se muito aquilo que só toca na TV ou rádio, e isso para nós que somos do Rock é pior ainda, pois ajuda a gerar um pré-conceito e aquela ideia de que o Rock está morto, como também pré-conceitos nossos com relação a outros estilos. Contudo, eu acho que nós estamos caminhando para um equilíbrio e espero que isso não demore a acontecer, pois eu também sou público e gosto de ter várias opções disponíveis.
 
Como grande fã do Queen o que você acha dessa continuação e grandes recentes turnês da banda com o jovem vocalista Adam Lambert? Alírio: Esse é cara é um gênio. Eu respeito muito Paul Rodgers, mas Adam imprimiu muito a sua digital na banda, respeitando as músicas como elas são. Eu vi o show do Queen com ele aqui e dá para ver o que cara está grato e emocionado de estar ali. Afinal, quem não iria querer estar de estar em tal posição? * "We Will Rock You" estreou na última quinta-feira (24/3)

Mika: Prefiro ser fã do que cantar com o Queen

 (31/3 2016) - Em entrevista a Milenio, o cantor Mika explicou os motivos porque não interpreta canções do Queen apesar de ter a voz parecida com a de Freddie. Mika esteve na Cidade do México, onde tocou gratuitamente.

Milenio Television teve a oportunidade de falar com o cantor britânico de origem libanesa sobre a semelhança de sua voz com a de Freddie Mercury.

Com relação ao assunto, Mika explicou as razões pelas quais ele não está interessado em cantar faixas do Queen. “Sou muito amigo de Roger Taylor e Brian May, e no começo eles me disseram: ‘Você não gostaria de vir e cantar algumas músicas do Queen?’

E eu disse: “Não. Eu não estou interessado em cantar as músicas do Queen… Eu nunca iria me colocar nesse contexto, porque o que eu sempre digo é que eu sou um fã e vou continuar a ser e há uma maneira de estragar o seu fanatismo, que é ficar muito próximo a ele.”

 (fonte; site Queenbrazil.com)