terça-feira, 29 de setembro de 2015

Brian May nova entrevista 2015

24 de setembro 2015
 http://queen4everblog.blogspot.com.br/2015/09/intervista-brian-may-su-billboard-del.html
Entrevista com o guitarrista Brian May imediatamente após o show que a banda realizou no Rock in Rio. Fala-se mais detalhadamente sobre o seu trabalho em 3D e alguma coisa de Queen 2016.
 Nos últimos anos, Halloween Nights dos parques da Universal Studios tem sido outra saída criativa para músicos como Slash, Black Sabbath e Rob Zombie, que têm visto a sua música usada como trilha sonora e inspiração para esse tipo de show. Este ano é a vez de o guitarrista Brian May do Queen, que será a estrela do anual Dia das Bruxas  com a estréia nos EUA de seu curta-metragem One Night in Hell, baseado em seu livro Diableris, com imagens 3D escrito com Denis Pellerin. Os visitantes do parque poderão desfrutar em Hollywood de 6 minutos desse curta-metragem que será exibido em diferentes pontos de Universal Studios, enquanto se aguarda a entrada nos labirintos inspirados por The Walking Dead e outros filmes similares.
 
Resultado de imagem para DiableriesPara Brian May esta é uma oportunidade de compartilhar sua paixão por Diableries, uma série de imagens estereoscópicas francesas  que datam ao redor de1860 e representam um mundo demoníaco habitada por esqueletos. O curta-metragem é apenas o começo para May, que diz a Billboard que o próximo passo será um filme baseado em Diabliers, que se realizará nos intervalos de seus compromissos atuais com Queen e Adam Lambert. Nós conversamos com o guitarrista imediatamente após o show que a banda realizou no Rock in Rio.

 

Antes Halloween Nights da Universal Studios foi assistido por Black Sabbath, Alice Cooper, Slash e Rob Zombie.

Esta é sua maneira de mostrar às pessoas o lado banda de hard-rock Queen?(Risos) Bem, este projeto tem a ver com o Queen, para ser honesto. Eu fiz isso para mim e para o interesse que eles têm em Diableries, que remonta a um longo tempo. Não é um "terror" convencional e baseia-se na visão do inferno que vem da Igreja do tempo. Foi uma coisa muito real para as pessoas daquela época.

Quando você começou a trabalhar no filme? E 'o trabalho de uma vida, de fato, um ato de amor para mim, porque eu coletei esses cartões por 40 anos. Finalmente, conseguiu reunir a principal série de 72 imagens e ofereci aos homens do século 21 a oportunidade de vê-los novamente em 3-D, assim como eles seriam vistos em 1860. Então, isso é algo muito profundo para mim.
Resultado de imagem para diableries stereoscopic adventures in hell
Como você encontrar esses cartões? Se você ver esses cartões, você vai perceber que eles são absolutamente de tirar o fôlego. Me deparei com um par deles na Portobello Road Market em Londres por volta de 1970, provavelmente. O mercado abre muito no início da manhã, então eu estava lá cerca de seis horas em um frio cortante. Eu encontrei um cara que era um comerciante de rua e eu disse: ".. Dê uma olhada estes, chamados Diableries Aposto que você nunca viu nada como isso antes de hoje" Ele estava certo, eu nunca tinha visto nada parecido em minha vida. Então eu perguntei-lhe o que eram, de onde vieram e o que eles significam. No entanto, ele sabia pouco, portanto, para os próximos 40 anos Diableries, tornaram-se uma espécie de missão para aprender mais e mais.

Dada a sua paixão por essas imagens em 3D, nós vamos ver um filme dedicado a Diableries? Estamos trabalhando em uma versão longa no momento. Sim, eles vão se tornar um filme real, e estamos em um bom ponto: temos um roteiro e tudo mais. Também neste caso, posso dizer que não vai ser um filme de terror convencional. É uma história sobre a forma como as pessoas têm visto o inferno em um tempo antes de nós, por isso tem um monte de mistério e fantasia.

É um filme que é uma fonte de inspiração para você em relação a este projeto? Já existe um monte de inspiração nos cartões. Há uma riqueza absoluta de imaginação neles. E 'chocante, alguns são realmente perturbadores, mas também há um monte de diversão. A sátira é muito presente e é representada por coisas estranhas como patinação no gelo e remo, regatas realizadas por esses esqueletos. Em outra vez, vemos cenas de tortura, mas, basicamente, estamos vivendo a vida e a forma como fazemos e esta é a parte do inferno misteriosa. De alguma forma tuda essa representação do Inferno é algo preocupante, pois muito perto do caminho nós vivemos em nossas vidas reais.

Você irá compor a música para o filme de Diableris? Sim, e isso vai ser um desafio real. Eu realmente gostei de fazê-lo para esse curta, e percebi isso incrivelmente e rapidamente. Eu tive uma sessão de gravação com uma orquestra que tinha reservado em Praga e eu perguntei-lhe  se tocariam a Abertura 1812 de Tchaikovsky, mas com uma diferença sutil. Assim aconteceu rapidamente, e foi muito divertido. E, claro, no interior há We Will Rock You, que é algo que eu possa reivindicar a propriedade. Então você pode dizer que a trilha sonora de One Night in Hell é minha propriedade e eu sou e Tchaikovsky!

Isso não é exatamente uma coisa ruim! Você teria queria trabalhar com um compositor como Tchaikovsky? Eu me considero muito afortunado porque muitos dos meus sonhos se tornaram realidade, e isso é de alguma forma um deles. Eu amei Tchaikovsky desde criança, e eu lembro do meu professor de música dizendo que a Abertura 1812 era lixo. Mas eu pensei: "Não, eu sei o que eu gosto," Há tanta paixão nesta composição, bem como a sensação de perigo e muita emoção. Eu sou um grande fã de música romântica, como ele deve ser corretamente chamado de era de Tchaikovsky e daqueles compositores russos. Sim, estou muito feliz por ser capaz de interagir com todas estas grandes coisas. Eu sempre disse que uma das grandes vantagens de ser bem sucedido no que fazemos é que você começa a trabalhar com as melhores pessoas. Então, vivo ou morto, você começa a trabalhar com a "nata".

Com quem você gostaria de trabalhar para este filme? Nós já temos a nossa equipe, mas eu tenho muitos heróis no mundo do cinema, é claro, Martin Scorese que é um dos meus heróis. Eu tenho um monte de heróis, suponho, mas em certo sentido, estamos fazendo isso de uma forma Europeia, porque o material é o francês. Eu fiquei saturado, neste momento, esta maneira de ver as coisas.

Já existe uma data de lançamento prevista? Esperemos que em 2017. É um projeto grande e se eu não tenho o tempo necessário disponível eu não faço. Eles são extremamente ocupado, mas há um velho ditado na Inglaterra que diz: "Se você quer algo bem feito, em seguida, pedir-lhes para fazê-lo a um homem muito ocupado."
Isso significa que você ainda estará envolvido com o Queen ainda em 2016? No momento não há nenhum plano, mas há uma chance de fazer algo. Ele está indo muito bem nessa turnê. Estaremos em Buenos Aires na época. Nós abrimos o Rock in Rio 30 anos depois de termos tocado para 100.000 pessoas. É maravilhoso que nossa música ainda atenda a uma nova geração. Portanto, você provavelmente verá alguma atividade do Queen novamente no próximo ano. Mas eu ainda não tenho idéia, absolutamente. Você tem que mergulhar nessas coisas sem saber nada, e eu vou deixar tudo fluir.


segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Brian no observatório astronomico de Cordoba, Argentina vendo eclipse lunar

Córdoba, Argentina: Observatório da cidade em dia de eclipse lunar e de Queen

(fonte: Queen Brazil facebbok) -28/09 -  Mais de 1500 pessoas visitaram o Observatório Astronómico de Córdoba, na noite de 27 e madrugada de 28 de setembro para compartilhar o fenómeno astronómico conhecido como eclipse da super lua. O que trouxe de especial esta eclipse para este observatório: a beleza lunar e a visita de um Queen...

Depois de seu recital em Córdoba, o famoso guitarrista da Banda Queen, Brian May, visitou o observatório astronómico de Córdoba. O guitarrista, que por sua vez é astrónomo, notou o céu de córdova, através do telescópio equatorial do oac, e fez um tour pelas instalações .Antes de se despedir tirou uma fotos com todo o grupo de astrónomos e voluntários que estavam trabalhando no observatório na noite do eclipse de superlua.





domingo, 27 de setembro de 2015

Porto alegre Queen+ Adam Lambert na visão de 1 fã

Imagem
http://whiplash.net/materias/shows/231011-queen.html
POA: Queen + Adam Lambert sob o prisma de uma fã (Resenha - Queen + Adam Lambert (Gigantinho, Porto Alegre, 21/09/15))

Cerveja Queen já chegou ao Brasil

Beber ou não beber... ?! Eis a questão !!! a Cerveja lançada pelo Queen, já foi  importada da Europa para o nosso país via importadora Bier&Wein  Agora já chegou a alguns lugares de São Paulo e Rio de Janeiro - a média de preços varia de 23 a 25 reais a garrafa...



"Chegou na Red Flag Bebidas!!! Queen Bohemian Lager!!!! A cerveja da banda mais encantadora dos ultimos 50 anos foi fabricada na Republica Tcheca e segue a lei da Pureza. 
   Peça já a sua"

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Argentina 2015: Roger Taylor: Freddie habría odiado envejecer

Entrevista de Roger Taylor para o Clarin.com da Argentina 24 set 2015
http://www.clarin.com/extrashow/musica/Roger_Taylor-Freddie_Mercury-Brian_May-Queen-GEBA_0_1436856516.html
Linda entrevista de Roger Taylor que saiu ontem em site da Argentina -Roger Taylor: Freddie habría odiado envejecer -em espanhol...

Queen+ Adam na argentina 2015 -palco

O show será 25/09 na 6af
16:00 hs. Apertura de puertas
18:00 hs. Show de apertura: SER Fcbk
21:30 hs. Show de Queen + Adam Lambert
 
È estádio, não em arena fechada! E vai ser mais pessoas juntas que numa arena. Mas arena tem suas vantagens pois tem um outro som, dá um brilho a mais com as luzes que não teriam aquele mesmo efeito que em área aberta. E lá vai ter uma banda argentina que vai abrir o show. Só que parece que essa banda não é tão conhecida assim. Mas vai ser muito bom claro! Queen tem padrão de qualidade!

Entrevista Mixme Brasil:Adam fala de Queen e de seu CD

23 de setembro de 2015, por Cínthia Zagatto para o MIXME
A  turnê no Brasil de Queen+Adam Lambert foi encerrada com sucesso - mas Adam deu várias entrevistas para rádios e programas. Confira mais uma...
Acessem o link com vídeo da entrevista: legendas em português.
http://mixme.com.br/novidades/adam-lambert-entrevista-autografo-promo-2/


Set list Queen+Adam Porto Alegre


Adam + Queen Rock in Rio: show de entrar para história

Adam Lambert + Queen no Rock in Rio: um show para entrar para a história
http://pausadramatica.com.br/2015/09/22/adam-lambert-queen-no-rock-in-rio-um-show-para-entrar-para-a-historia/

sábado, 19 de setembro de 2015

Mesmo sem realeza de 85, Queen emociona Rock Rio

Resultado de imagem para queen tocou rock in rio 2015 18 no setembro
  http://musica.uol.com.br/noticias/redacao/2015/09/19/queen-volta-ao-rock-in-rio-e-coloca-adam-lambert-a-frente-de-85-mil-pessoas.htm?cmpid=fb-uolent

Rock Rio. Queen tem Adam soltinho, selfie e replay de coro



Resultado de imagem para queen e adam lambert tocou rock in rio 2015
http://g1.globo.com/musica/rock-in-rio/2015/noticia/2015/09/queen-tem-adam-lambert-soltinho-selfie-e-raplay-de-coro-rock-rio.html






Queen desvia das comparações e faz um grande show

Resultado de imagem para queen encerrou o dia no rock in rio 2015
http://oglobo.globo.com/cultura/rock-in-rio/leia-as-criticas-das-apresentacoes-do-primeiro-dia-do-rock-in-rio-2015-17538850#ixzz3mFMnPVO5

Queen: 1o dia de Rock in Rio 2015 lembrando Freddie

Queen+Adam 2015: set list Rock in Rio

setlist queen (Foto: Gshow)

Adam Lambert: entrevista antes do show Rock in Rio

 Entrevista: Adam Lambert muito simpático fala sobre estadia no Brasil, música, ativismo, cultura drag e muito mais. A entrevista aconteceu no Rio antes de irem para o show no Rock in Rio - acessem o link para conferir ... http://parasitand0.blogspot.com.br/2015/09/entrevista-adam-lambert-fala-sobre.html  em 18/09

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Queen+ Adam: coletiva de imprensa no RIO completa 10 set


Queen + Adam Lambert
Rock in Rio Coletiva de Imprensa 10 de Setembro 2015 (completa)

Queen emociona em S P em apresentação impecável

http://entretenimento.r7.com/pop/com-freddie-mercury-no-telao-e-adam-lambert-brilhando-nos-vocais-queen-emociona-em-sao-paulo-17092015

Com Freddie Mercury no telão e Adam Lambert brilhando nos vocais, Queen emociona em São Paulo -- Banda desfilou seus hits eternos em apresentação impecável

"É uma das vozes mais lindas desse mundo". Por muitas vezes ouvi minha mãe dizer essa frase sempre que uma música da banda Queen tocava em algum lugar. Sim, Freddie Mercury é mesmo um dos maiores cantores que surgiram até hoje, com controle vocal absurdo, além de sua interpretação autêntica e inesquecível. O cantor morreu no mesmo ano em que eu nasci, alguns meses depois. Mesmo assim, por conta de minha mãe, desenvolvi um amor muito grande pela banda da qual ele fazia frente. Ela me mostrou o som deles e eu me encantei.
    

Pontualmente, o espetáculo começou com uma projeção da sombra de Brian May no enorme tecido que cobria o palco. Com One Vision, Adam Lambert chegou como um verdadeiro astro da música. De roupa de couro e óculos escuros, ele estava de costas dando umas reboladinhas e, claro, deu aquela virada dramática que fez a galera gritar.

Don't Stop Me Now (só pra constar que foi música tema da minha formatura na faculdade) empolgou a galera e a banda seguiu numa sequência poderosa de I Want to Break Free e Somebody to Love.
O vocalista só foi falar com a plateia lá pela quarta música, para não perder o embalo nas canções, quando agradeceu Freddie Mercury e pediu aplausos. E a partir daí, taca-lhe pau nos inúmeros sucessos da banda.
 Love of My Life, Brian May ficou emocionado com a plateia, que aplaudia e gritava seu nome. Ele então disse que a música era dos brasileiros, porque eles a fizeram ficar famosa, se referindo à histórica apresentação do Queen no Rock in Rio de 1985. E ao final da música, o público vai ao delírio quando Freddie surge no telão para terminar de cantar a música. Emocionante de verdade.
Antes de assumir os vocais e cantar a belíssima

 Aliás, vale elogiar a produção do show, que contou com telões imensos, um jogo de luzes que criava verdadeiras ilusões, explosões, e até mesmo canhões de papel picado.
Quanto aos músicos, fica difícil avaliar a performance de May e do resto banda, tamanho o talento deles. May simplesmente destrói em seus solos, assim como Roger Taylor e seu filho Rufus, que é percusionista e também baterista, e até faz um "duelo" com o pai no palco. De arrepiar!
Lambert brilha com sua voz poderosa
Uma das vozes mais potentes da música atual, Adam Lambert é a escolha certeira para acompanhar a banda. Tão carismático e performático quanto Freddie, ele dá um show com seu alcance vocal poderoso, suas dancinhas, caras e bocas, trejeitos e, como qualquer divo da música que se preze, com suas inúmeras trocas de roupa. No final do show, ele aparece com uma roupa toda de oncinha, enrolado na bandeira do Brasil e com uma coroa na cabeça. Tem como não amar?
É claro que os estilos de Freddie e Adam são bastante diferentes e até impossíveis de comparar, mas os fãs parecem ter aprovado todo o talento e glamour de Adam. No meio dos clássicos, ele ainda cantou Ghost Town, seu single mais recente. A música eletrônica ganhou uma versão rock muito interessante.
Para o bloco final, o Queen guardou alguns de seus maiores sucessos: Radio Ga Ga, The Show Must Go On, Bohemian Rhapsody e as unânimes We Will Rock You e We Are The Champions, que encerram a apresentação.
Comecei o texto falando de uma coisa pessoal porque me peguei pensando em algo que pode soar meio cafona, mas que me parece sempre muito verdadeiro... a eternidade da música.

O poder atemporal da música me fascina e me intriga. Quando boas canções surgem, elas marcam a vida de muita gente, não necessariamente nascidas na época em que foram lançadas. E, muitos anos depois, continuam a empolgar, emocionar, encantar. Dentro do Ginásio em São Paulo, todos os tipos de pessoas. A prova de que o Queen encanta gerações estava ali para quem quisesse ver. Idosos, adultos nos seus 30/40 anos, jovens de 20 e poucos, crianças e adolescentes, todos curtindo.
Com suas canções inesquecíveis, seus grandes músicos e a adição de um vocalista talentosíssimo, o Queen segue homenageando Freddie e provando essa teoria da eternidade. E eu, depois de ficar completamente embasbacado com o show espetacular que vi, só posso dizer mais uma coisa: obrigado, mãe!

Show de São Paulo 16/09 set list

ESTE FOI O SET LIST DO SHOW DO QUEEN+ ADAM
SÃO PAULO NA ARENA IBIRAPUERA E 16/9/2015

Público aprova Adam vocalista do Queen após show em SP

Esse texto não é tão 100% sobre o show de Queen e Adam Lambert em São Paulo, mas estou colocando pra mostrar o que pensam os jornalistas a respeito...

Público aprova Adam Lambert como vocalista do Queen após show em SP

O cirurgião dentista Otávio Neiva, 46, saiu de Campina Grande (PB) e veio a São  Paulo só para ver o Queen, na noite desta quarta (16), no ginásio do Ibirapuera. Ele foi um dos que aprovou o americano Adam Lambert, 33, como vocalista da banda inglesa cujo tempo de carreira é bem maior que a  idade do cantor.
"Eu queria ver o Brian (May,  guitarrista) e o Roger (Taylor, baterista). Tinha que ter alguém cantando. Mas gostei dele. Valeu muito a pena", conclui Mercury, como os amigos de Otávio,  que vieram junto, o chamam,  em referência ao ex-vocalista original do Queen,  que morreu em 1991.

O arquiteto Denis Elias, 36, desfilou elogios a Lambert, no final do show.  "Não dá para comparar os três vocalistas (que o Queen já teve). O Freddie e o Paul (Rodgers) eram bem diferentes, e o Adam também. E gostei muito dele. É um showman, simpático, com grande presença de palco", disse.

Se Adam conquistou o público mais velho, que conheceu o Queen com Mercury nos vocais, ele também fez a alegria dos fãs mais jovens da banda. É  o caso da estudante Giovanna Benedette, 17, que foi ao show com os pais. "Adorei o Adam. Sabe o que acontece? As pessoas pensam que ele entrou para substituir o Freddie, mas, na verdade, o que ele faz é uma homenagem",  falou a garota.

 A mãe de Giovanna, Siomara Benedette, 52, apoia a filha na aprovação ao cantor. "Ele tem um timbre de voz maravilhoso.  Eu o achei apenas um pouco extravagante, mas, pensando bem,  Freddie também era", compara.

O show
O Queen antecipou em São Paulo o show que faz amanhã, no Rock in Rio.  Durante 2h20, a banda repassou a carreira. Enfileirou no setlist de canções não tão conhecidas, como "In the Lap of the Gods",  do álbum "Sheer Heart Attack",  de 1974, a clássicos,  como "Somebody to Love"  e  "We Are the Champions". Outra de "Sheer Heart Attack" que entrou foi "Killer Queen", que Lambert cantou sentado em uma poltrona roxa.
Resultado de imagem para como foi queen e adam lambert em São paulo 16 fev 2015O vocalista não é toda essa fábula que o público mais empolgado acha que é. Na maior parte do tempo, sua presença  mais incomoda do que agrada. Mas quando o cantor acerta, o show cresce absurdamente. Lambert tem uma sequência em que domina o espetáculo, e parece inverter a situação. Em "Save Me" e "Who Wants to Live Forever", ele faz o Queen penetrar no seu universo vocal e performance, e não o contrário, quando tenta se adaptar ao grupo. O cantor ainda se dá bem em "Show Must Go On". Mas é só.
Como homenagem a Freddie Mercury, funciona. Como show do Queen, decepciona um pouco. O ídolo surge no telão três vezes. Na primeira, canta um trecho de "Love of My Life". Na última, chega a 'duelar' nos vocais com Adam,  em "Bohemian Rhapsody". Mas não há  grandes versões de qualquer uma das músicas do grupo, exceto nas duas citadas, em que Adam toma conta.

O lugar não ajudou. A péssima acústica do ginásio do Ibirapuera estragou a parte inicial da apresentação. Para quem estava na pista, próximo ao palco, o som, além de embolado, era coberto pela caixa da bateria de Roger Taylor, alta demais, no início.
Taylor trouxe junto seu filho Rufus, que atuou como percussionista e também duelou com o pai durante o solo de bateria de Roger. O rapaz ainda assumiu as baquetas em "Tie Your Mother Down".
O que não desagradou em quase nenhum momento foi a produção cênica da banda. Apesar de lembrar muito a do Pink Floyd, a iluminação em torno de um telão redondo, instalado dentro do desenho de uma letra Q, tornou o espetáculo visualmente muito bonito. Ainda assim, Brian May não precisava ter recorrido ao clichê de tocar usando uma camisa que representasse o Brasil, mas isso é outra história.

terça-feira, 15 de setembro de 2015

15 set Rock in Rio : palco pronto em fotos

Dia 18 tem Rock in Rio para o nosso Queen+ Adam Lambert
aqui fotos do palco já pronto ...bom pra emocionar quem vai estar lá!
fonte: estadão cultura




Arena Ibirapuera - montontagem: palco e equipamentos

Tá chegando o dia ....que emoção! Queen+Adam Arena Ibirapuera -São Paulo - 16 set 2015 - montagem do palco e equipamentos



 


 

domingo, 13 de setembro de 2015