sábado, 30 de maio de 2015

sexta-feira, 29 de maio de 2015

Marc Martel encerrando sua turnê solo 2015

Enquanto o Queenextravaganza, banda oficial de tributo ao Queen não está em atividade, Marc Martel se pôs na estrada em Maio para sua turnê solo 2015 de seu álbum "Impersonator"! A 1a fase da turnê já se encerrou e pelo visto ele e sua banda se saíram muito bem com um bom público. Os lugares para as apresentações eram menores, mas com um público bem animado e acolhedor.

Tayler Waren  baterista do Queenextravaganza também fez parte dos músicos acompanhantes de Marc como guitarrista e claro na bateria. No grupo de músicos além de Marc e Tayler a banda contou com o guitarrista Nate Bedingfield e o baixista Tim Wilson.  Nas apresentações, Marc interpreta não só composições de seu álbum solo, mas tem incluído algumas de sua canções preferidas e claro, uma ou outra canção Queen, marca registrada atual de Marc que ficou conhecido por sua voz muito semelhante a de Freddie Mercury.

Apresentações: 3/5 Washington, DC-   5/5- Boston, MA -6/5- New York City, NY - 9/5- Pittsburgh, PA - 13/5- Chapel Hill, NC - 41/5- Atlanta, GA - 15/5- Columbus, GA - 20/5- St. Louis, MO - 21/5- Evanston, IL

*6/5 em New York-  Marc de surpresa convida o tecladista Brandon Ethridge seu colega do Queen Extravaganza  que estava assistindo a apresentação para participar dessa música.*



E como não poderia faltar - Somebody to Love...

Vocalista do Judas Priest fala de Adam e de Queen


O lendário Rob Halford, vocalista do Judas Priest falou a respeito do cantor Adam Lambert, atual vocalista do QUEEN e também artista solo, demonstrando apoio à ele para com a música e representação como pessoa.  -Rob Halford : "Esta voz pode fazer muitas coisas e eu vejo isso como um presente. Eu acho que Adam é um cantor, artista e performer sensacional. Ele tem uma longa carreira a frente dele no show business.

Resultado de imagem para adam lambert queen
Adam Lambert também conta com o apoio de Halford em relação a ele estar atualmente no Queen. -Rob Halford: “Sou fã do Queen desde o começo. Assisti shows deles no início da carreira e era incrível. É ótimo vê-los ainda na estrada. Eles nem precisam mais, já possuem discos de ouro e platina suficientes. Mas mostram amor pela música. Adam Lambert é um cara fenomenal. Só haverá um Freddie Mercury, mas ele está soando extraordinário. A banda está muito forte agora”, disse o lendário vocalista em entrevista. (fonte: adamlambert.com 29/6)

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Brian e Kerry Ellis na Itália em Junho


Resultado de imagem para Brian may e kerry ellis
Em 1o de junho de 2015, Brian May e Kerry Ellis estarão se apresentando em Verona na Itália, na famosa "Arena de Verona". Um show organizado e transmitido pela TV italiana com vários artistas de diferentes estilos como o rock e música pop e também artistas de música clássica. Todos serão acompanhados pela orquestra e coral da Arena de Verona. Esta arena tem capacidade para 12.000 pessoas e é bem conhecida pelos espetáculos de ópera e música clássica. (brianmay.com)Arena Di Verona

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Games: App official Queen com jogos e muito mais !

(dica: Queen Brazil facebook)
Lançamento do único app oficial do Queen, disponível nas appstores da Apple e Google!

Participe do jogo, resolva puzzles, quizzes e tenha a chance de ganhar prêmios reais. Isso tudo ao som de músicas originais do Queen.

Baixe agora:... Apple: http://bit.ly/QueenOfficialApple
Android: http://bit.ly/QueenOfficialAndroid

John Deacon e sua última aparição ao vivo

Vídeo da última aparição de John Deacon com Roger e Brian




Resultado de imagem para john deacon and brian mayResultado de imagem para john deacon and brian mayResultado de imagem para john deacon and brian may


domingo, 24 de maio de 2015

Roger Taylor diz que é o culpado pelos sintetizadores da banda

No livro Is This Real Life? The Untold Story of Queen, do jornalista Mark Blake, Taylor fala sobre a inclusão de sintetizadores nas faixas do QUEEN: "Temo de que foi minha culpa".

Imagem
Em 1979, os integrantes do QUEEN, sem a pretensão exata de gravar um disco, entraram no Musicland Studios para algumas sessões, enquanto tinham agenda a cumprir no Japão. Nesta época, a banda conheceu o produtor musical alemão Reinhold Mack, o qual trabalharia com o quarteto por um longo tempo. Quando Freddie compôs "Crazy Little Thing Called Love" e foi para o estúdio, ali, começava o trabalho que culminaria no álbum "The Game".

A banda vinha de uma turnê longa e cansativa, que, mesmo trazendo altos lucros, apenas seguiu algumas questões internas que se estendiam com força desde as gravações do álbum "Jazz": a vida pessoal agitada de Freddie Mercury, a qual estava influenciando negativamente sua performance vocal, e a insatisfação de Roger Taylor com suas próprias composições. Segundo John Deacon em uma entrevista dada anos depois, Taylor era o músico que mais escrevia canções para o QUEEN, mas as obras eram incapazes de competir com as músicas de Brian e Freddie, os compositores majoritários, o que fez com que se tornasse o primeiro a lançar um disco solo, isso em 1981. Por conta disso, a medida em que a banda lançava singles que se tornariam parte do futuro álbum, "The Game", Roger foi um dos que se colocavam a favor de mudanças na música da banda. Ele e John Deacon não gostaram de "Jazz" (por motivos distintos), mas Roger estava disposto a acrescentar algo de novo em suas músicas.

Resultado de imagem para queen band 1980No livro Is This Real Life? The Untold Story of Queen, do jornalista Mark Blake, Taylor fala sobre a inclusão de sintetizadores nas faixas do QUEEN: "Temo de que foi minha culpa. Eu comprei este sintetizador polifônico da Oberheim. Eu mostrei para Freddie, e imediatamente ele estava... tipo, "Oh, isso é bom, querido!". A ideia inicial era de que o instrumento fosse utilizado apenas nas duas composições de Roger para o álbum, "Rock It (Prime Jive)" e "Coming Soon". No entanto, Mercury, e até mesmo Brian trouxeram o teclado para suas músicas. John foi o único que se prendeu aos moldes antigos, utilizando piano e guitarra para criar os efeitos em "Another One Bites the Dust" e o típico violão em "Need Your Loving Tonight".

Mack diria: "Roger era o único em busca de um novo som", embora o baterista tenha sido voto vencido em lançar "Coming Soon" como single e ter tido "A Human Body" rejeitada para o disco, sendo substituída por "Don't Try Suicide", de Mercury. Durante as gravações, Brian estava insatisfeito com a forma pela qual o produtor Mack sugeria que seu trabalho na guitarra fosse mais simples. Por causa disso, durante as gravações do álbum, o guitarrista deixou o QUEEN, voltando dias depois. No entanto, May se embriagava durante as gravações, enquanto entrava em discordâncias com Roger. Freddie, por sua vez, encarava a situação com sarcasmo: "Quatro galos de briga. Adorável!"
A maior discussão durante a gravação de "The Game" ocorreu durante a produção de "Rock It (Prime Jive)". Roger queria ser o intérprete, enquanto Mack optava por Freddie. Duas versões para a música foram gravadas, uma na voz de Taylor, outra por Mercury. A decisão ficaria por Brian May e John Deacon. Brian optou por Freddie, enquanto John optou por Roger. No fim das contas, as versões foram mescladas. Apesar dos contratempos, a banda ficou satisfeita pelo resultado do disco, principalmente Roger. John, por sua vez, viu suas duas músicas para o álbum se tornando singles, com "Another One Bites the Dust", até os dias de hoje sendo o maior sucesso da banda em solo norte-americano. Embora o uso dos teclados exista no disco, a turnê seguiu sem sintetizadores.
Queen: "foi minha culpa", diz Roger Taylor sobre sintetizadores http://whiplash.net/materias/curiosidades

aconteceu: Banda God save the Queen no Brasil 2015

God Save the Queen - Créditos: Fábio Codevilla
Em maio, a banda do Dios Salve La Reina desembarcou direto da Argentina para o Brasil para uma série de shows muito bons e sempre lotados  numa turnê  que passou por várias cidades no Brasil. Não é a primeira  vez que eles passam por aqui, mas já a vários anos eles se apresentam entre nós. No ano passado também estiveram em nosso país. No espetáculo The Show Must Go On, nome de sua atual turnê, os artistas como sempre utilizaram vestuários e instrumentos semelhantes aos que eram usados pelo Queen, fazendo as mesmas coreografias que a banda original Queen fazia na época de Freddie Mercury para interpretar canções como “Bohemian Rhapsody”, “Radio Gaga”, “We Will Rock You” e “We Are The Champions”, entre dezenas de outras.

O God Save the Queen nasceu em 1998 na cidade de Rosario na Argentina e tem na formação o impressionante Pablo Padín nos vocais e piano, Francisco Calgaro (guitarra), Matías Albornoz (bateria) e Ezequiel Tibaldo (baixo). Além do talento para reconstituir musicalmente a obra da banda britânica, o Diós Salve a la Reina destaca-se pelo apelo visual. Além da semelhança impressionante de Padín com Freddie Mercury, há uma preocupação grande em reproduzir os mesmos figurinos, instrumentos e aspectos cênicos. A propósito, há oito anos, o God Save The Queen foi a primeira banda tributo na história a participar do prestigiado Montreux Jazz Festival.  Essa banda conseguiu ser tão profissional que tem shows em vários lugares pelo mundo.

quinta-feira, 21 de maio de 2015

2015: Brian sobre a possibilidade de um Cd com Adam

(fonte: Queen Argentina no facebook) - Brian May, a lenda da guitarra do Queen conversou com o Gigwise no Ivor Novello Awards 2015 em 21 de maio e foi perguntado se seria bem vindo um novo material com Adam e Queen. Brian abriu a conversa dizendo sobre o potencial de um novo álbum Queen e a possibilidade de se gravar com o cantor Adam Lambert...

Resultado de imagem para brian may ivor novello 2015"Não é bem vinda essa possibilidade, nós não estamos fazendo isso", disse May ao Gigwise. "Não no momento e de qualquer maneira, mas nós poderíamos fazer. No momento em que nós estamos observando com interesse, Adam impulsiona sua carreira solo, e ele parece estar indo muito bem. Ele é um incrível artista, incrível, e não há como fugir disso. É muito interessante vê-lo se desenvolver! Estamos muito conscientes de que ele não  quer estar conosco o tempo todo - que seria errado tê-lo só para nós, "envelopa-lo" e nunca deixá-lo sair e fazer qualquer outra coisa. Por isso é muito importante que a sua própria progressão na carreira solo seja agora. Estamos ansiosos para estar de volta juntos em setembro para fazer o Rock in Rio, e algumas datas na Argentina e Venezuela e eu acredito.